sexta-feira, 21 de maio de 2010

A Beleza da Ajuda

A ajuda, as vezes, vem
de quem menos se espera!


Depois de mandar os e-mails,


ficar de sentinela enquanto
eu  desenhava,

E ainda esperar na janela pra me avisar
quando os clientes chegassem...


Ela merecia um agradecimento,
não concordam?


Crédito das fotos:
Filósofo de Pijama

domingo, 16 de maio de 2010

A Beleza do Entusiasmo


A palavra entusiasmo vem do grego
e significa "ter um deus dentro de si."
Os gregos eram politeístas, isto é,
acreditavam em vários deuses.

A pessoa "entusiasmada" era aquela
preenchida por um desses deuses,
por isso teria o poder de transformar
a natureza e fazer as coisas acontecerem.

Por exemplo, a pessoa "entusiasmada"por Deméter
(deusa da agricultura, ou Ceres, na mitologia romana),
seria capaz de fazer acontecer a melhor safra.
E assim acontecia com as pessoas
"entusiasmadas"por cada um dos deuses
da mitologia grega.


E para os gregos, somente as pessoas "entusiasmadas"
eram capazes de vencer os desafios do cotidiano,
criar ou modificar a realidade.
Por isso, era imprescindível
"abrigar um deus em si",ou seja, entusiasmar-se.


Hoje, quando vemos uma pessoa que acredita em si,
se sente capaz de transformar a realidade,
que transborda de energia, alegria e firmeza,
dizemos que é uma pessoa entusiasmada.
E é o entusiasmo que leva ao sucesso.


O entusiasmo é bem diferente do otimismo.
Otimismo significa esperar que uma coisa dê certo.
Entusiasmo é acreditar que é possível fazer dar certo.


Esta postagem é dedicada às 40 e poucas pessoas
que foram exoneradas do Porto de Paranaguá
depois de 7 anos de dedicação e muito trabalho,
para que jamais percam o entusiasmo!

Assista o vídeo
"Capturando o Vento"
Vale a pena!

video

Agradecimento:

À amiga Arisangeli Paiva pelo texto e vídeo


sábado, 8 de maio de 2010

A Beleza da Minha Mãe


A minha mãe é de aço.
Foi mãe com 19 anos de idade
e cuidou dos meus primeiros meses de vida,
longe da mãe dela,
longe da cidade dela,
em um lugar hostil e inóspito.


Quando passava as  noites sozinha,
porque meu pai saia em campanha na fronteira do Brasil,
 em plena revolução de 64,
ela ficava com um revólver em baixo do travesseiro
e olhando para o meu berço
cuidando para nenhuma aranha-caranguejeira
passar pela barreira do cortinado
que ela muito cuidadosamente ajeitava
em meu berço.

Minha mãe é de aço.
E o aço é uma liga de ferro e carbono.
O ferro é o símbolo da força
e o carbono é o elemento presente 
em todos os organismos vivos.
Minha mãe é a liga entre a fragilidade e a força.

Minha mãe é firme.
Nunca se rendeu às minhas chantagens
quando eu dizia
"se as minhas amigas podem, porque eu não posso?"
Minha mãe respondia:
"Porque suas amigas não são minhas filhas."

Minha mãe é uma guerreira.
Fez vestibular e faculdade em uma época
em que as mães não tinham que ter uma vida profissional.
Minha mãe guerreira não só fez vestibular
e faculdade na área científica,
reduto dos homens,
como também fez mestrado e doutorado.
Minha mãe guerreira nunca desistiu,
apesar das enormes dificuldades de se
conseguir essas vitórias com 2 filhos pequenos.
Justiça seja feita:
ela sempre teve a ajuda da mãe dela.
E do meu pai, que sempre a apoiou,
mesmo quando ela foi trabalhar
na África, em Cabo Verde,
onde não havia telefone e muito menos internet,
e nós nos falávamos uma vez por semana,
por rádio-amador.
Minha mãe-guerreira tomava banho
com 17 canecas de água.
E ia à pé ao trabalho.
Minha mãe formou professores lá,
e iniciou o programa de ensino à distância,
isso há 30 anos atrás.

Minha mãe acredita.
Nunca deixou de nos incentivar,
 apoiar e orientar.
Mesmo quando eu não ouvia,
mesmo quando eu fiz as escolhas erradas,
Minha mãe sempre crente dessa filha,
deu amor e apoio.
Minha mãe nunca deixou dúvidas
do amor incondicional que tem por nós.

Minha mãe é conforto.
Tem cheiro de casa limpa,de comida caseira,
de banhinho tomado.
Minha mãe tem gostinho de banana amassada,
de mingau de maisena,de salada fresca,
 colhida por ela na horta da casa,
do caldo verde que aquece meu coração.
Minha mãe acalenta.


Minha mãe é engraçada.
Abre o portão fazendo caretas,
lê gibi, adora seção da tarde.
Ficava atrás dos banquinhos ocupados
na lanchonete das Lojas Americanas,
para comer waffle au mapple,
ou vafle ao maple,
que só os iniciados da família
sabem do que se trata.
Saia correndo atrás de mim,
com a escova de cabelo na mão,
rindo até se fartar,
para desembaraçar os incríveis
nós dos meus cabelos infantis.


Minha mãe perdôa.
Ter sido atropelada por mim
quando abria o portão da casa
para eu sair com o carro dela.
Perdôa meus erros e vibra com
as minhas vitórias.


Minha mãe é generosa.
Empresta casa,
empresta roupas e sapatos.
Dá dinheiro, nas necessidades.
Dá sorrisos,
mesmo quando quer chorar.
Dá abraços,
mesmo quando preferiria 
dar um puxão de orelhas
(embora tenha dado muitos)

Minha mãe é cuidadosa.
Cuidou dos pais dela
durante os longos anos da doença deles.
Junto com meus tios,
minha mãe nunca fraquejou,
nunca se omitiu,
nunca os abandonou.
Lutou e os amou,
com todas as suas forças,
até o fim.


Minha mãe sonha.
Com o Havaí,
com a europa,
com o apartamento novo,
com a felicidade de todos nós.

Minha mãe é exemplo.
Aprendi a gostar de ler com ela,
aprendi a gostar de estudar com ela,
aprendi que a mulher tem que ter independência
financeira para ser uma pessoa livre.

Minha mãe é paciente.
Ficou sentada horas ao piano me ajudando a estudar.
Corrigiu as minhas lições de casa.
Verificou todos os meus boletins.
Pagou meu curso de inglês,
minhas escolas e academias.
Mas nunca se conformou com notas baixas
sempre dizendo que eu tinha capacidade
para fazer mais e melhor.
Esperou pacientemente pelo
meu diploma universitário,
quando eu insistia em afirmar que  não precisava dele.

Minha mãe é inteligente.
Insistiu para que eu estudasse no
CEFET, mesmo quando eu não queria,
porque sabia que aquela escola
seria minha garantia para o futuro.
E foi.
Hoje,graças ao curso que fiz lá,
tenho uma profissão bem sucedida.

Minha mãe espera.
O telefone tocar,
o sino do portão da casa tocar,
e a noite de domingo,
pra gente conversar.

Minha mãe se preocupa.
Com as unhas roídas,
com os quilos a mais,
com os excessos.
Com o emprego perdido,
com o futuro,
com o presente,
com a nossa segurança.

Minha mãe é caprichosa.
Quando faz os almoços de domingo,
enfeita as mesas com florezinhas
colhidas por ela no jardim.

Prepara os pratos preferidos de todos,
usando os únicos temperos
 que fazem a comida de mãe ser inigualável:
amor e dedicação.

Minha mãe é linda.
E acha que eu é que sou linda.
Mas ela tem aquela beleza que o tempo não destrói,
mas acentua, porque faz com que
irradie a sua imensa  beleza interior.
E agora que ela não tem mais a beleza da juventude,
tem aquela beleza honesta , sincera,
e sem retoques, marcada pelos risos
e tristezas, por todas as emoções
de uma vida vivida plenamente.
Minha mãe tem a beleza do amor.


Minha mãe é amor.
Amor para todo mundo,
por meus bichos de estimação,
pelos sobrinhos e sobrinhas,
pelos netos a quem se dedica de corpo e alma.


Minha mãe é emoção.
Minha mãe é razão.
Minha mãe é assim.
Única.

Não é à toa que a palavra mãe não tem equivalente.
Mãe, só rima com mãe.

Minha mãe é meu orgulho,
meu exemplo de vida,
meu manancial de força,
minha guia,
minha melhor amiga.

Minha mãe,
Te amo.