domingo, 29 de agosto de 2010

A Beleza da Luz

Que a luz faz toda a diferença,
todo mundo sabe,
mas que o Light Design tem infinitas possibilidades,
está aos poucos sendo conhecido.

A última premiação anual da IALD
(Associação Internacional de Light Designers)
traz os trabalhos fantásticos da iluminação
da mesquita Xeque Zayed Bin Sultan Al Nahyan,
conhecida como Grande Mesquita de Abu Dabi.

Os autores do projeto tiveram o objetivo
de fazer da luz um instrumento icônico,
e para tal, utilizaram-se de duas referências
religiosas islâmicas: 
a dinâmica lunar e o posicionamento
dos fiéis em direção à Meca




A mesquita parece se transformar de acordo 
com o calendário lunar por meio da coloração 
da luz incidente, até se transformar em uma 
enorme e homogênea massa branca 
no período da lua cheia.


A referência à Meca é realizada por meio
 da projeção de imagens de nuvens 
em movimento  sobre a mesquita,
como se proviessem da cidade sagrada.

Na Inglaterra, a iluminação de uma 
ponte para pedestres,
convida e induz a população 
à uma exploração além-rio.




A revitalização do waterfront de uma cidade da Suécia,
presta homenagem ao passado industrial,
através da transformação de um antigo
guindaste em uma estrutura espetacular.




De Newton aos dias de hoje,
a luz "viajou" infinitamente através
da criatividade e genialidade de alguns
iluminados inspirados, que nos proporcionam
momentos de puro êxtase diante das infinitas
emoções que despertam com suas criações.

Esta postagem é uma homenagem
à light designer que, em um passado que
parece muito distante, apresentou-me
o maravilhoso mundo da luminotecnia,
e me ensinou tudo que eu sei sobre 
este assunto:
ou Li, para nós que a amamos.

Uma semana de luz para todos!

Créditos imagens e reportagem:

6 comentários:

Anônimo disse...

Lindo texto e fotos! Parabéns!

Luiz Borges disse...

Elsa! Muito bonita a postagem. Mas o que tenho a te dizer é o seguinte: Só você é a minha luz.
Beijo do teu Filósofo-iluminado-de-pijama.

Ivo e Fátima disse...

Aninha

Minha inspiração perdeu-se em algum canto escuro do meu cérebro, e não há iluminação, por mais sensacional que seja, que me faça achá-la a curto prazo.

Beijos (no Gafa, abraços)

Ivo

Li disse...

uau!!!!!!!!!!!!!!!!!
Nossa minha linda e muito bem iluminada Aninha... o que dizer depois de tuas palavras? estou emocionada. Como e´boa esta nossa vida!!! como e´sempre bom estarmos juntas!!! Ainda a pouco, tivemos um revival destes.. qto já rimos e ate choramos juntas.Amo vc minha amiga poderosa e linda.

Tatiana disse...

Ana querida.
Quanto tempo eu não passava por aqui, andei meia sumida,quase não entrava no twitter, mas hoje dando uma editada no microblog, te reencontrei!!
Agora não te largo mais...hahaha...ja virei tua seguidora e verei todas as suas atualizacoes no meu blog list!!
Quanto a iluminação, fiquei muito impressionada com a da mesquita, tem toda uma mensagem por trás!!!
Simplificando absurdamente,mas no meu humilde caso, entre morar em uma casa maravilhosa mas mal iluminada ou uma vazia só com almofadas e uma p..iluminação, fico sem duvida nenhuma com a segunda!!!
Uma iluminação mal feita me deprime,você acredita nisso??
Parabéns pelo excelente texto Ana!!!
Beijocas.
Tati.

Ana Balbinot disse...

Anônimo,
Muito obrigada! Da próxima vez coloque seu nome...

Luiz,
Noooosssa!!!!Fiquei até sem palavras!Obrigada, meu amor!
beijos!

Ivinho,
Pois é, tô preocupada! Vê se volta logo a ficar inspirado, tá?
Beijos nos 2

Li,
Que bom que você gostou! Também te amo, minha amiga!
Beijos

Tatiana!
Que legal que você voltou!!! Fiquei super feliz com a sua visita e seu comentário, venha sempre!
E eu, como você, também ficaria com a segunda opção, sem a menor sombra de dúvida! hehehe!
Beijos