terça-feira, 9 de setembro de 2008

A beleza dos Trapiches

Cada vez que eu vejo um trapiche, sinto ao mesmo tempo um pouco de melancolia e
um tantinho de saudades indefinidas.
Tenho uma porção de lembranças baças
e uma bem definida do filme "A Mulher do Tenente Francês"
melhor dizendo, do filme não lembro nada,
a não ser a cena da Meryl Strip na ponta de um trapiche açoitado por ondas de inverno
num lugar que parece a Cornualha.
Eu adoro a poética dos trapiches,
seja ela qual for...

e sempre vejo poética nos trapiches

mesmo os mais velhinhos e gastos têm a sua beleza




aqui, no trapiche de Antonina, Paraná, uma placa avisava sobre o perigo de desabamento em 2006

aqui, nessa fotos feitas por mim em 2007, o pedaço que ia desabar já desabou!

e antes que este trapiche fique assim

vamos tratar de reformá-lo, restaurá-lo e transformá-lo de novo

em um lugar para desfrutar!
Espere mais um pouqinho, Antonina, já estamos quase lá!

Um comentário:

Rita Celina disse...

Aninha! Os trapiches me causam uma certa melancolia, principalmente ao entardecer. Temos dois no lago São Bernardo e, muitas vezes, Deny e eu gostávamos de ficar meditando,na parte próxima ao lago. Mas agora estão meio perigosos, precisando de uma boa reforma. Porém,´são interessantes e dão um aspecto nostálgico ao local em que estão. Bjs.Rita