segunda-feira, 13 de outubro de 2008

A beleza de Roma







Quem tem Euros vai à Roma

Campo dei Fiori (Campo de flores) é uma praça onde, no século XV, havia um campo florido. Em 1456 o Papa Calixto III mandou pavimentar a área, como parte de um projeto mais amplo de remodelação de todo Parione. Este projeto previa a construção de muitos edifícios importantes, particularmente o da Família Orsini. Por isto a praça era local obrigatório para as personalidades mais importantes e acabou se transformando na sede de um mercado florescente


de cavalos que acontecia nas quartas e sábados, e em torno dela surgiram muitos albergues e ateliês de artesãos. Assim a praça se transformou em local de várias atividades comerciais e culturais. Em 17 de Fevereiro de 1600 Giordano Bruno foi queimado vivo na praça, e no local se erigiu um monumento, em 1887, obra de Ettore Ferrari. Desde 1869 há um mercado cuja atmosfera popular está bem caracterizada no filme Campo dei Fiori, de 1943, com Anna Magnani e Aldo Fabrizi. Diariamente o Campo dei Fiori é um dos pontos de encontro mais populares dos jovens, italianos e estrangeiros, graças a presença de muitos bares e lanchonetes com preços acessíveis.


Giordano Bruno


La Piazza del Popolo



Tradução do nome: Praça do povo.

É uma das praças mais conhecidas de Roma. Três ruas nascem na praça, o conhecido tridente: Via del Corso no meio, Via del Babuino à esquerda e Via Ripetta à direita. As igrejas gêmeas de

Santa Maria dei Miracoli (1681) e Santa Maria in Montesanto (1679), iniciadas por Carlo Rinaldi e terminadas por Bernini delimitam o cruzamento das ruas. Se olhadas com atenção, percebem-se diferenças entre as duas, o que não aconteceria se tivessem sido projetadas no estilo neoclássico, enquadram-se porém na assimetria barroca.



Via dei Babuino



(coisinha feia o Babuíno, heim?)


Piazza Navona

Quem está aqui: Palazzo Doria-Pamphili, Igreja de Sant'Agnese in Agone, de Francesco Borromini, lindas fontes de Bernini e Embaixada do Brasil.



Piazza di Spagna

É uma das mais famosas de Roma, e é lá a embaixada da Espanha, e é lá que tem a conhecida escadaria que sobe até a Igreja de Trinitá Dei Monti e a fonte barroca , Fontana della Barcaccia, de Bernini, adornada com sóis e abelhas, símbolos da Família Papal, os Barberini. A monumental escada de 135 degraus, foi inaugurada pelo Papa Benedito XIII em 1725 e em 1995 foi restaurada.



Piazza e Basílica de São Pedro


A Basílica de São Pedro é obra de vários séculos. Inicialmente, a idéia era se construir um monumento comemorativo, no lugar onde São Pedro foi martirizado e enterrado. A partir de 324 o Imperador Constantino decidiu construir uma basílica. No século XV a basílica paleo-cristã estava ameaçada de cair, o que fez com que os Papas decidissem demolí-la. A construção do edifício atual se iniciou em 18 de abril de 1506, durante o pontificado de Julio II, e foi terminada e consagrada em 1626, durante o pontificado de Urbano VIII. Na fachada se pode ver em letras enormes o nome de Paulo V, da família Borghese, sob cujo pontificado a construção foi concluida . Numerosos arquitetos e artistas participaram da obra: Bramante, Rafael, Sangallo, Miguelangelo e Maderno. Gian Lorenzo Bernini

projetou a praça e as suas colunatas. Curiosidade: em 2000, depois de mais de 2 anos de limpeza, conseguiu-se eliminar a sujidade acumulada ao longo dos séculos na fachada da basílica. Os efeitos da contaminação haviam enegrecido as colunas, as estátuas da fachada e as paredes da basílica. A trabalhosa (e cara) limpeza permitiu que o branco do travertino das grandes colunas aparecesse, tendo ao fundo o ocre pálido das paredes. Também ficaram visíveis os veios azulados do mármore das colunas, assim como os tons avermelhados e verdes sobre o balcão da logia central. São tantas as " novas cores" da basílica que acabaram gerando uma polêmica entre os entendidos, muitos dos quais asseguram que essas não são as cores originais.

A fachada da basílica de São Pedro foi construida entre 1607 e 1614, e os preparativos começaram um ano antes, depois que se decidiu modificar a planta de cruz grega da basílica para a cruz latina, o que obrigou a derrubar o que restava da basílica medieval e dos edifícios adjacentes. Poseriormente a responsabilidade do projeto ficou a cargo de Miguelângelo, que retomou a idéia de Bramante da Cruz Grega. Um total de 700 operários trabalharam na construção. A fachada, de quase 7.000 metros quadrados é tão grande quanto um campo de futebol. Mede 53 metros de altura e 114 metros de largura. Sobre a mesma estão colocadas treze grandes estátuas, de quase seis metros cada uma, que representam Cristo Redentor, São João Evangelista e todos os Apóstolos, menos São Pedro, que tem uma estátua na praça. Conta ainda com oito grandes colunas de 27,40 metros de altura e 2,77 metros de diâmetro.


A colunata que delimita a praça São Pedro é formada por quatro fileiras de colunas. Um total de 296 colunas que sustentam uma laje sobre a qual corre uma balaustrada e onde descansam estátuas de santos, obras dos discípulos de Bernini.



A grande cúpula se encontra exatamente sobre o altar maior e a tumba do Apóstolo Pedro. Concebida por Miguelangelo, foi terminada 24 anos depois da sua morte. Tem um diâmetro de 42,5 metros e uma altura de 132 metros, e se inspira na cúpula da Catedral de Florença. A inscrição que se vê como um cinto na base da cúpula, cujas letras medem 2 metros de altura, diz:

LTV ES PETRVS ET SVPER HANC PETRAM ÆDIFICABO ECCLESIAM MEAM ET TIBI DABO CLAVES REGNI CÆLORVM


A Pietà


A Pietà, 1498-1500, é um grupo escultórico realizado em posição piramidal com a Virgem como eixo vertical e o corpo morto de Cristo como eixo horizontal. Está situada na primeira capela à direita, quando se entra na Basílica de São Pedro, e é a única obra assinada por seu autor, Miguelangelo. O jovem escultor, na época com 22 anos, soube que um par de viajantes havia atribuido a autoria da sua obra mestre a um artista de terceira ordem, oriundo da Lombardia.

Furioso, numa noite se escondeu no interior do templo e à luz de velas esculpiu do lado diagonal , cruzando o torso da Virgem, os seguintes dizeres: "MICHAEL ÁNGELUS BONAROTUS, FLORENT. FACIENBAT", traduzindo, " a fez , Miguel Angelo Buonarotti, florentino".

Basílica de São João Laterano

Esta é a Catedral de Roma, onde se encontra a sede episcopal do Bispo de Roma. É dedicada a Cristo Salvador e seu nome oficial é :Archibasilica Sanctissimi Salvatoris. É a mais antiga das 4 basílicas papais de Roma e tem o título honorífico de "Omnium urbis et orbis ecclesiarum mater et caput" (mãe e cabeça de todas as igrejas da cidade e de toda a terra). No século III,os Lateranos,uma nobre família romana caída em desgraça com Nero, tem seus bens tomados pelo Império. O palácio , conhecido como Domus Faustae , cai nas mãos de Constantino I , quando se casou com sua segunda mulher, Fausta, irmã de Majencio. Por esta via, Constantino dispunha do Palácio quando ganhou a batalha da Ponte Milvio, em 312. A tradição cristã reza que os terrenos e a residência dos Lateranos foram doados ao Bispo de Roma em sinal da gratidão do Imperador a Cristo, que o havia feito ganhar a batalha, aparecendo para o Imperador em sonho. A atual basílica é em estilo neoclássico , e quase não há mais vestígios da primitiva basílica, salvo alguns mosaicos no interior. No alto da fachada se encontram estátuas de Cristo, João Evangelista, João Batista e dos apóstolos. A fachada foi deliberadamente feita seguindo o estilo da de São Pedro, e atualmente , nela o Papa celebra certas cerimônias litúrgicas , como por exemplo a Missa do Corpos Christi.




Interior da Arquibasílica de São João Laterão


Palácio de Justiça



Também chamado pelos romanos de "Palazzaccio" é projeto do arquiteto William Calderoni. Foi construido entre 1888 e 1911, depois da Unificação italiana. Feito em travertino, se inspira na arquitetura de 1500 e no barroco. É coroado por um grupo escultórico de bronze, uma quadriga (carro puxado por quatro cavalos), do escultor Ettore Ximenes. Nas rampas de acesso ao Palácio, há colossais estátuas feitas por vários autores, tais como Maccagni, Quattrini, Bernini, Tipisciano, Dazzi e Biondi.

Na porta central há uma escultura que representa "A justiça entre a lei e o poder".

Nota da redação: Que cara será que tem esta escultura? Não consigo imaginar....



Castel Sant ' Angelo


Também conhecido como Mausoléu de Adriano, é um monumento situado na margem direita do Tibre, na frente da Ponte Sant'Angelo, a pouca distância da Cidade do Vaticano. Iniciado pelo Imperador Adriano no ano de 135 para ser seu mausoléu pessoal e familiar, foi acabado por Antonio Pio, em 139. O monumento esra enfeitado por uma quadriga de bronze, guiada pelo Imperador Adriano. Quando ficou pronto, acabou por ser convertido em um edifício militar e se integrou à Muralha Aureliana no ano de 403. O atual nome do Castelo é de 590, quando o Papa Gregório I teve uma visão de São Miguel emabainhando sua espada, em cima da estátua de um anjo que coroava o Castelo. Esta visão aconteceu no meio de uma epidemia de peste que abalou Roma, e o Papa a interpretou como sendo o fim da luta contra a epidemia. Para comemorar a aparição, primeiramente foi colocada uma estátua de um anjo em mármore, de autoria de Raffaelo da Montelupo. A estátua atual, ali desde 1753. é em bronze, de Pierre van Verschaffelt sobre um desenho de Bernini.


Ponte Sant'Angelo


Imagem via Ivo Zagonel

Anteriormente cahmada de pons Aelius (ponte de Adriano), foi construída entre os anos 134 e 139 pelo Imperador romano Adriano. É revestida de mármore travertino, cruza o Rio Tibre e tem cinco arcos. Hoje a ponte é utilizada exclusivamente por pedestres e nos tempos passados era usada pelos peregrinos para chegar à Basílica de São Pedro, que se vê ao fundo da imagem. Por isso também era conhecida como Ponte São Pedro(pons Sancti Petri). Sob o pontificado do Papa Gregório, tanto o Castelo quanto a ponte adotaram o Sant'Angelo como nome oficial. Durante o jubileu, em 1450, a balaustrada da ponte cedeu devido à multidão de peregrinos, e muitos deles morreram ao cair no rio. Por conta do acidente, muitas das casas, assim como um arco do triunfo que existiam na entrada do rio foram derrubados para ampliar o espaço para os peregrinos. Durante os séculos posteriores (sec XVI), a ponte foi usada para expor os corpos dos executados. No ano de 1535, o Papa Clemente VII instituiu um pedágio a fim de arrecadar fundos para erigir as estátuas de São Pedro e São Paulo, aos quais se juntaram ,mais tarde, os quatro evangelistas e patriarcas que representavam as estátuas de Adão, Noé, Abraão e Moisés. Em 1669, o Papa Clemente IX encomendou a recolocação dos antigos anjos de estuque de Raffaello da Montelupo. Bernini programou a construção de dez anjos de seguravam os símbolos da Paixão e ele pessoalmente acabou os dois originais dos anjos que seguram a inscrição I.N.R.I e a coroa de espinhos, mas ambos foram requisitados por Clemente IX para seu próprio deleite. Hoje se encontram na igreja de Sant'Andrea delle Fratte, também em Roma.

Foro Romano


O Forum Romanum, também era chamado de Forum Magnum ou simplesmente Forum, e era a zona central em torno da qual se desnvolveu a Roma antiga, e onde havia comércio, negócios, prostituição , religião e a administração da justiça. Nele estava a comuna. Restos de pavimento mostram que sedimentos erosionados das colinas circundantes já estavam elevando o nível do Fórum na primeira República. Originalmente havia sido um terreno pantanoso, que foi drenado pelos Tarquinios com a Cloaca Máxima. Seu pavimento definitivo em travertino, que ainda se pode ver, data do reinado de César Augusto. Atualmente é famoso por suas ruínas, que mostram com eloquência o uso dos espaços urbanos durante o Império Romano. Nesta imagem se vê a Via Sacra, um caminho processional que cruza o Fórum Romano conectando-o ao Coliseu. Ao final do Império, o Fórum foi transformado em local sagrado, perdendo seu uso original.

Jardins do Pincio

Situado sobre a Piazza del Popolo, em uma colina de vegetação abundante. Os jardisn são obra de Valadier, que desenhou as praças e todo o sistema do parque. Valadier criou esta grande fonte tipicamente francesa, com esfinges neoclássicas e figuras humanas.

Arco de Constantino

É um arco do triunfo que fica entre o Coliseu e a colina do Palatino. Foi erguido para comemorar a vitória de Constantino I , o Grande, na batalha da Ponte Milvian, em 28 de Outubro de 312. Para a sua decoração , outros arcos do triunfo e monumentos foram espoliados. As colunas são da época flávia e há também esculturas de Trajano e Adriano.


Trastevere


O Trastevere é um bairro de Roma, situado na margem oeste do Tibre, ao sul da Cidade do Vaticano. Seu nome vem do Latim, trans tiberis. A antiga Igreja de Santa Maria en Trastevere foi fundada em 221 d.c por São Calixto e reconstruída no século XII por Inocêncio II. Foi a primeira igreja dedicada ao culto da Virgem Maria. No campanário, se volta ao século XII, e no alto, há um pequeno mosaico que representa a Virgem com o Menino Jesus. A praça situada na frente da igreja de Santa Maria de Trastevere é o coração do bairro. A fonte octogonal é obra de Carlo Fontana (1692). O Trastevere sofreu várias inundações pelas cheias do Tibre e a mais grave foi a de 1598, quando morreram mais de mil pessoas.

O Coliseu

Originalmente chamado de Anfiteatro Flavio, é uma grande construção no centro da cidade de Roma. Na antiguidade tinha capacidade para 50.000 (!) espectadores, com 80 filas de assentos. Os lugares mais próximos da arena eram para o Imperador e senadores e, a medida em que se subiam os assentos, descia a classe social dos usuários. No Coliseu tinham lugar as lutas de gladiadores e espetáculos públicos. A construção se iniciou em 70 d.c e em 72 d.c , sob o Imperador Vespasiano . O anfiteatro , que foi o maior construído no Império Romano, se completou em 80 d.c por Tito e foi modificado durante o reinado de Domiciano. O Coliseu foi usado durante quase 500 anos, e os últimos jogos da história foram celebrados no século VI, bem depois da queda do Império Romano em 476 d.c. Assim como as lutas de gladiadores , muitos outros espetáculos aconteciam lá, como caça de animais, execuções, encenações de batalhas e obras de teatro baseadas na mitologia clássica. Depois que deixou de ser usado com esses propósitos, foi também fábrica, refúgio, sede de uma ordem religiosa, fortaleza, santuário cristão. Apesar da estrutura estar seriamente comprometida devido à terremotos e vandalismos, o Coliseu sempre foi visto como um ícone da Roma Imperial e é um dos exemplos mais bem conservados da arquitetura romana. É uma das atrações turísticas mais populares da Roma moderna . Em 2007 foi nomeado uma das sete maravilhas do mundo moderno.


Fontana di Trevi

A Fontana di Trevi é a maior ( 25,9 m de altura e 19,8m de largura) e a mais ambiciosa das fontes barrocas de Roma, e marca o ponto final do Aqua Virgo, um dos antigos aquedutos de abasteciam a cidade. Em 19 d.c, supostamente com a ajuda de umairgem, os técnicos romanos localizaram uma fonte de água pura a apenas 22 km da cidade (cena representada na atual fachada da fonte). Esta água virgem corria pelo aqueduto mais curto de Roma diretamente até os banhos de Agripa e foi usada durante mais de 400 anos. O golpe de misericórdia na Roma Clássica foi a ruptura dos aquedutos por parte dos invasores godos. Os romanos medievais foram obrigados a usar água de poços contaminados e do Rio Tibre, que também era usado como esgoto. O costume romano de construir uma linda fonte ao final dos aquedutos que traziam água à cidade, foi ressuscitado no século XV, com o Renascimento. Em 1453, o Papa Nicolau V terminou de consertar o aqueduto Aqua Virgo e construiu uma simples pia, desenhada pelo arquiteto humanista Leon Battista Alberti, para anunciar a chegada da água. Em 1628 o Papa Urbano VIII, achando a fonte anterior insuficientemente dramática, pediu a Bernini que esboçasse possíveis renovações, mas o projeto foi abandonado quando o Papa morreu. A contribuição duradoura de Bernini foi mudar o lugar da fonte para o outro lado da praça para que ficasse na frente do Palácio do Quirinal de forma que o Papa também pudesse vê-la e desfrutá-la. Ainda que o projeto de Bernini tenha sido preterido pelo de Salvi, há muitos toques do primeiro na fonte tal como foi construída. Em 1730 o Papa Clemente XII organizou um concurso para o desenho da fonte, em que Nicola Salvi perdeu, mas mesmo assim recebeu o contrato. Os trabalhos começaram em 1732 e terminaram em 1762, muito depois da morte de Clemente, quando o Netuno de Pietro Bracci foi colocado no nicho central. Salvi morreu em 1751, com sua obra inacabada. A Fontana di Trevi foi concluida em 1762 por Giuseppe Pannini, que substituiu sa suaves alegorias presentes por esculturas de Agripa e Trivia, a Virgem Romana.

Paisagens RomanasArco que comunica o Museu Capitolino com o Palazzo Sanatorio.

Via Condotti, aquela mesma das lojinhas bacaninhas...



Por que afinal, nem só de história e cultura se faz uma viagem!

Agradeço imensamente à Jose Mazcona , cujas imagens são a alma deste post, e a Ivo Zagonel, que além de contribuir com uma das fotos foi, juntamente com a Fátima, minha mãe e minha tia, inspirador desta postagem.

4 comentários:

Luiz Borges disse...

Adorei a viagem ragazza!!! Uno bajo amore mio!!!!

Ninni disse...

Eu adoro Italia! And Rome is really a beautiful city! I´ve only been there once but I really would like to go there again...
My portugese is not in that condition that I can understand everything that you write and the translation is sometimes not exact:-) But I think you have wrote a fantastic article!
Um abraco, Ninni

Prof. Daniel Lúcio O. de Souza disse...

Ana,

Quanto ao EUROS, 'eu' 'ros' estou juntando ... mas agora ficou mais caro.
Mas, como todos caminhos levam a Roma, um dia chego lá!

Bela postagem!

Daniel Lúcio

Ivo e Fátima disse...

Aninha

Maravilha de postagem.

Só não gostei de uma coisa: Volare em inglês... Ache uma outra e troque!!!

Beijos