terça-feira, 6 de janeiro de 2009

A beleza de Cabaraquara


A localidade de Cabaraquara, em Guaratuba, produz as melhores ostras do país.
As características da região, com águas quentes e de estuário,
fornecem as condições ideais para o cultivo do fruto do mar,
que tem grande valor nutricional e é conhecido como afrodisíaco.


Estrada de Cabaraquara
A região faz parte do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange
e é cercada pela floresta atlântica,
um dos ecossistemas de maior risco ambiental do mundo.
O primeiro nome do Parque é uma homenagem
ao naturista francês Saint-Hilaire.
Ele foi o primeiro cientista a descrever a região
e também o primeiro a cruzar a remo
a baía de Guaratuba no século dezenove.
O segundo nome, Lange, homenageia o ambientalista
Roberto Ribas Lange,
falecido no início dos anos 90 em
trabalhos ambientais no Rio Iguaçu.
Lange foi um dos precursores da luta ambiental no Litoral do estado.
O parque Saint-Hilaire/Lange tem 24.500 hectares e
inclui o Morro do Cabaraquara e a Serra da Prata.

Na região, a maior parte dos habitantes vive do cultivo e da extração de ostras.

O Projeto Cultimar em parceria com o Projeto Ostra Viva,

é pioneiro no cultivo de ostras nativas em todo o Brasil.

Lanterna para o cultivo de ostras em foto de Carol

Há cerca de dez anos, quatro famílias de Brasília decidiram abandonar a capital federal para viver no meio da mata atlântica no Paraná.
Entre elas, a família de Ede de Souza Monteiro Jr., 50 anos.
Edinho, como é chamado, era programador de sistemas,
mas comprou um sítio em Cabaraquara e hoje é dono do restaurante Vivere Parvo.
“Foi um amigo em comum, o Hamilton Kirchner,
fundador do projeto Ostra Viva, que nos apresentou a essa região.
Não queria que os meus filhos fossem criados em Brasília, uma cidade distante da realidade”, conta o pai de Ede Neto, 24, que hoje vive em Paranaguá;
Helena, 21, que se mudou para Florianópolis;
e Marcelo, 23, que ajuda a administrar o negócio da família.
Edinho e Marcelo trabalham todos os dias na manutenção e ampliação do
restaurante Vivere Parvo, que fica em meio à Mata Atlântica .

Fotos de Carol em 05 de Janeiro de 2009

A região é belíssima, fauna e flora praticamente intocadas.

O ambiente é rústico, mas o atendimento é profissional e a comida é de alta qualidade,

o que faz com que o local seja procurado o ano todo.

Camarões À Milanesa Ostras À Provençal, delícia degustada por esta blogger e fotografada por Carol BB
Mata Atlântica e ao fundo a baía de Guaratuba

quiosque onde são preparadas as ostras

Edinho e o filho , chef Marcelo
Imagem via Viver Bem


O Vivere Parvo é muito mais do que um restaurante especializado em frutos do mar.
Pai e filho idealizaram um verdadeiro oásis tropical,
com quiosques, piscina natural, mirante com vista para
a baía de Guaratuba e até ofurô.
O próximo projeto é construir um circuito de arvorismo.
“A idéia é a pessoa passar o dia aqui. Vivere Parvo significa viver tranqüilo, viver com pouco.
É preciso vir sem pressa, para comer bem e curtir a paisagem.
Tudo é preparado na hora”, avisa Edinho.

Quem pensa que a vida de pai e filho é um tédio, está enganado.
Eles constroem tudo com as próprias mãos.
Edinho, que também é artesão, ainda cria peças em mosaico,
paredes com garrafões de vinho e outras obras.
“Morar em um lugar como esse é um aprendizado.
Você revê os seus valores, a sua vida.
Eu não saberia mais morar em uma cidade grande,
onde você não tem para onde fugir da influência da mídia,
vive agitado e com medo. Isso aqui é o meu projeto de vida”, conclui Edinho.

Visite o site do Vivere Parvo, mas se puder,
visite o Vivere Parvo real,
que é imperdível!


O Litoral

Dados e curiosidades sobre as praias do Paraná :
# O Paraná tem um dos menores litorais de todos os estados brasileiros, com aproximadamente 90 quilômetros de extensão e mais de 600 mil hectares de ambientes terrestres e marinhos.

# A costa conta com 300 mil hectares de floresta na região norte (Paranaguá, Morretes, Antonina e Guaraqueçaba), que representam a maior área contínua de mata atlântica em bom estado de preservação da costa brasileira.

# Abrange sete municípios: Antonina, Guaraqueçaba, Guaratuba, Matinhos, Morretes, Paranaguá e Pontal do Paraná.

# Abriga as baías de Paranaguá, de Antonina, de Guaraqueçaba e de Guaratuba e cerca de 200 ilhas, entre elas a Ilha do Mel, Ilha das Peças, Ilha do Superagüi, Ilha das Palmas, Ilha da Galheta, Ilha das Cobras e Ilhas dos Currais.

5 comentários:

Ivo e Fátima disse...

Oi Aninha

Primeirão de novo. Fazia tempo...

Pelo post, já estão de férias. Que maravilha.

Eu já tinha ouvido falar do Vivere Parvo, mas ainda não tive a oportunidade de visitá-lo. Esse teu post me aguçou os sentidos e a vontade de ir até lá. Quem sabe um dia depois "daquele" linguadinho?

Beijos (no Gafa, abraços...)

Ivo

Carol disse...

Anaaaa! tá mto legal esse post, mais realmenteee é LINDO o lugar, hehehe, bem gostoso! e já posso dizer que comi Ostra né ;D
uishauihsa
Parabéns. iauhsuihas tá cada dia melhor, também né, com essas fotos lindas AIUSHUIAH beeijos :*

Fabíola disse...

M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!!!

Realmente o Cabaraqueara é lindo!!!
O Parque Saint-Hilarie é uma preciosidade paranaense! E parabenizo por ter colocado a descrição do nome pois muita gente não sabe.
Inclusive existe uma "pressão popular" para mudar o nome para Parque Nacional Serra da Prata" pois a região fica dentro desta Serra. Além da (pequena) pressão popular, O IBAMA considera que há uma portaria dizendo que os Parques Nacionais não devem conter nomes de pessoas ou de municípios.
Sinceramente espero que não mude!!! Este nome já é mundialmente conhecido e particularmente acho a homenagem aos dois pesquisadores merecidíssima!
Parabéns pelo post e pelo visto curtindo muito as férias! Aproveite, vc merece!
Beijão!

Anônimo disse...

Oi Ana, tudo bem? Ficaram lindas, tanto as fotos quanto a matéria. Me deu até vontade de conhecer caso eu não morasse e "vivesse" tudo isso. Vivere Parvo é justamente isso: Viver tranqüilo e sossegado, viver com pouco. Aguardamos e que Deus abençoe você o Luiz e toda a sua família. Abraços, Edinho e toda equipe do Vivere Parvo.

Anônimo disse...

Oi Ana, tudo bem? Ficaram lindas, tanto as fotos quanto a matéria. Me deu até vontade de conhecer caso eu não morasse e "vivesse" tudo isso. Vivere Parvo é justamente isso: Viver tranqüilo e sossegado, viver com pouco. Aguardamos e que Deus abençoe você o Luiz e toda a sua família. Abraços, Edinho e toda equipe do Vivere Parvo.