terça-feira, 3 de março de 2009

A beleza do filme O Curioso Caso de Benjamin Button


Arabeske for Piano in C Major, Op. 18 - Various Artists [Artist]



Pode não ser o melhor filme do ano,
pode não ser o grande vencedor do Oscar,
pode ser longo demais,
Só não pode ser ignorado!
Com uma grande capacidade de emocionar
"O Curioso Caso de Benjamin Button"
é um filme sobre a dor de viver,
sobre a infância e a velhice
e sobre o quanto nada sabemos
da infância e da velhice.

É um filme sobre o amor
e perda,


sobre encontros e partidas,

sobre o engano das aparências,

sobre o tempo e
a impermanência de todas as coisas.

É um filme sobre o quanto ainda
precisamos compreender que,
apesar do nosso imenso desejo,


nada é para sempre,


e nada nos pertence...


Algumas frases do filme:


“Somos predestinados a perder as pessoas que amamos."


“Nunca se sabe o que nos espera.”


“Nossas vidas são definidas pelas oportunidades,
mesmo aquelas que perdemos.”


“Espero que você leve uma vida da qual se orgulhe.

Ou que tenha força para começar tudo de novo. "


"Tudo é passageiro e do fim não se escapa."


“Sou velho e já passei por muitas dificuldades,
mas a maioria delas nunca existiu”.


Esta postagem é uma homenagem
às amigas que me convidaram para
ir ao cinema com elas,
e que com sua amizade e carinho
tecem de bons momentos
a minha vida!


Por sugestão delas,
voltarei a falar da impermanência,
ou da Beleza da compreensão da Impermanência.

Em Breve!

12 comentários:

Daniel Lucio Oliveira de Souza disse...

Legal Ana!

Gostei da frase "Espero que você leve uma vida da qual se orgulhe!". Se todas as pessoas pensassem assim, seguramente seriam melhores e o mundo também.
Valeu pela sensibilidade do tema.
Daniel, Dorinha e Mariana.

Ivo e Fátima disse...

Oi Aninha

Concordo com a tua opinião sobre o filme, só não gostei muito do final - achei meio forçado (não vou falar aqui, pois senão, quem não viu...).

Sobre as frase que você escolheu, me permita acresentar algumas (nem todas são do filme):

"QUASE nunca se sabe o que nos espera. Às vezes dá para saber: é o táxi, é tua mulher no trabalho, teus amigos querendo te oferece um linguadinho..."

"Tudo é passageiro, menos o motorista".

"Quero morrer como o meu avô - dormindo, e não gritando como os passageiros do ônibus dele".

"Tudo pelo social, mas os empregados pelo de serviço"

Tchau querida - espero que tenha gostado de minha folisofia de botequim.

Beijos (no Gafa, abraços)

Ivo

P.S.: diga ao Gafa que adoramos o filme e ficamos emocionados ao assisti-lo - foi um conforto em nosso momento difícil.

Luiz Borges disse...

Achei interessante também passar por dificuldades e muitas delas não terem existido. Se as enfrentamos, realmente elas deixam de existir. Gostei muito da postagem Elsa. Um beijo do teu Filósofo de Pijama.

Luiz Borges disse...

Mestre I-vong e Fátima-vong. Gosto muito de vocês. Fiquei muito chateado com o episódio. Que bom que gostaram do filme . Fiz especialmente pensando em vocês.
Um beijão Fátima (No mestre um abraço).

Ana B. disse...

Daniel,
Concordo em número e grau com você!
Obrigada pelo comentário!
Bjs na família toda

Ivo,
Voltou engraçadinho, heim? Que bom!
Ficamos super tristes com o episódio e também assino embaixo do comentário do Gafa.
Beijos (para você e para a Fátima! hihihihihi!)

Mosana disse...

olá.. adorei o blog..
e eu AMEI esse filme.. chorei atééééé cansar ehehehehe fui ao cinema no meio da semana no meio da tarde e sozinha.. adoro ir ao cinema sozinha.. tinham 7 pessoas contando comigo.. mas o filme foi lindissimo..
amei.
kisses

Panda disse...

Nossa, vc até me fez gostar mais do filme!

Ana B. disse...

Xanda,
Fiquei super feliz por ter conseguido que vc gostasse mais ainda do filme!
Bjs

Fabíola disse...

Obrigada pela homenagem, minha amiga! E por ter levado em consideração a sugestão sobre a impermanência das coisas...Tenho pensado muito sobre ela nos últimos tempos e este filme mexeu muito comigo!

A passagem que mais me marcou:

“Para o que vale a pena, nada é muito tarde, ou no meu caso muito cedo – para ser quem você quer ser. Não há tempo limite; você pára quando quiser. Você pode mudar, ou ficar igual – não há regras para isso. Nós podemos tirar o melhor ou o pior disso. Eu espero que você tire o melhor. Eu espero que você veja coisas que te deixem sobressaltada. Espero que você sinta coisas que nunca sentiu antes. Eu espero que você conheça pessoas com um ponto de vista diferente do seu. Eu espero que você viva uma vida que se orgulhe. Se você achar que não está acontecendo, eu espero que você tenha a força para recomeçar tudo de novo. “

Beijo grande e bora marcar outro cineminha!!! hehehehe..

Ana B. disse...

Obrigada, Fá! Adorei que vc transcreveu esta passagem, que eu vou copiar num papelzinho e levar sempre comigo, para lembrar as coisas realmente importantes da vida.
Beijão e na minha volta, cineminha marcado!

Anônimo disse...

Ana!!!!!!!!!!!
Amei o filme, adorei o post e fiquei mais feliz ainda com a homenagem. O filme é mto bom mesmo! Chorei... E vc é fofa!!!
Beijo!
Sâmar

Ana B. disse...

Obrigadíssima, Sâmar!
Eu amei o filme (mas isso vc já sabe) e a companhia de vocês foi o melhor de tudo!Não esqueça: movie section when I come back!
Xoxo!